terça-feira, 27 de abril de 2010

TCU passa a mão na Cabeça de Moreira

O TCU (Tribunal de Contas da União) arquivou o pedido de investigação contra homem que ficou conhecido no ano passado por ser dono de um castelo no interior de Minas Gerais não declarado à Receita Federal.

Trata-se do deputado Edmar Moreira. Essa mesma figura, é acusada de crimes contra a ordem tributária, sonegação fiscal, apropriação do INSS de seus funcionários, de não pagar uma dívida de R$ 2 milhões ao Banco do Brasil e de esconder da Justiça Eleitoral o castelo, avaliado em mais de R$ 20 milhões. Ainda assim, Moreira conseguiu manter seu mandato até hoje.

O pedido de investigação foi feito pelo Ministério público que acusa o rico deputado do PR de Minas Gerais, de irregularidades no uso da verba indenizatória.A decisão carinhosa foi tomada no último dia 7 de abril. Edmar Moreira era acusado de usar notas de empresas próprias para justificar os gastos. Ou seja, o dinheiro que recebia da Câmara e que deveria ser gasto com despesas para exercer o cargo, iria parar no seu bolso.


O TCU alega que não há provas de desvio de dinheiro e que as normas da Câmara para o uso da verba indenizatória não eram claras.

Vou cantar a pedra! Nas eleições de outubro, o deputado vai tentar se reeleger e ficar mais quatro anos na Câmara. Alguém dúvida?

Informações: r7

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Radialista e Jornalista JR AVELAR recebe Mérito Tiradentes

O Radialista e Jornalista JR Avelar, será agraciado nesta quarta-feira, 21, com a maior comenda do Governo do Estado a um civil através da Polícia Militar. Trata-se do Mérito Tiradentes que será entregue no dia 21 de abril na Aldeia Amazônica Davi Miguel durante cerimônia militar.

Nesta segunda-feira, durante participação na rádio Clube do Pará o jornalista disse estar muito feliz pelo reconhecimento. “Quero dividir com todos que direta ou indiretamente contribuíram para o sucesso de nossas informações, em especial meus diretores Camilo Centeno, Jader Filho, Chico Melo e Nonato Cavalcante, a todos militares desde o simples praças até o coronel, a meus ouvintes da Rádio Clube e leitores do Diário do Pará, a minha esposa pelo espírito paciente com o marido fora de casa, meus dois motoristas Frank e Silas Carvalho e a minha mãe que se desespera todas as vezes que me ouve lá no interior (Cachoeira do Arari) durante uma caçada a bandidos ou mesmo durante um assalto com refém quando nós somos chamados para colaborar com a rendição. Mais o agradecimento maior vai para Deus que tem me proporcionado ser útil as pessoas e reconhecido neste momento de minha carreira”.

Avelar chega aos 27 dedicados ao jornalismo no Pará com um currículo invejável. Já trabalhou nos principais meios de comunicação do Pará, sempre pautando sua conduta na ética, imparcialidade e bons serviços prestados aos seus ouvintes e leitores.

Atualmente JR Avelar trabalha no núcleo de jornalismo da Rádio Clube do Pará e escreve matérias especiais para o caderno polícia do Jornal Diário do Pará.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Vídeo: Deputada do RIO Cidinha Campos bombardeia na Alerj

O desabafo da deputada estadual Cidinha Campos (PDT) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), no dia 24 de Março de 2010, está ganhando fãs em todas as partes do país. Nele, Cidinha diz que a corrupção está no DNA e que existe uma quadrilha na Alerj: “Quanto mais o cara é ladrão, mais é querido, simpático”.

“Isso daqui não é uma casa de santos, mas não pode se transformar em uma casa de canalhas, corruptos, vagabundos”

video

Leilão de BELO MONTE é suspenso

Juiz federal de Altamira concordou com o MPF em uma das ações civis públicas que tratam das irregularidades no empreendimento

A Justiça Federal determinou a suspensão da licença prévia da hidrelétrica de Belo Monte e o cancelamento do leilão, marcado para a terça-feira (20/04). O juiz Antonio Carlos de Almeida Campelo concedeu medida liminar (urgente) por ver “perigo de dano irreparável”, com a iminência da licitação.

A decisão é fruto da apreciação de uma das duas ações civis públicas ajuizadas pelo Ministério Público Federal tratando das irregularidades do empreendimento. Trata, especificamente, da falta de regulamentação do artigo 176 da Constituição Federal, que exige edição de lei ordinária para o aproveitamento de potencial hidráulico em terras indígenas.

“Esta provado, de forma inequívoca, que o AHE Belo Monte explorará potencial de energia hidráulica em áreas ocupadas por indígenas que serão diretamente afetadas pela construção e desenvolvimento do projeto”, diz o juiz na decisão.

Além de suspender a licença prévia e cancelar o leilão, o juiz concordou com as outras medidas solicitadas pelo MPF: que o Ibama se abstenha de emitir nova licença, que a Aneel se abstenha de fazer novo edital e que sejam notificados o BNDES e as empresas Norberto Odebrecht, Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez, Vale do Rio Doce, J Malucelli Seguradora, Fator Seguradora e a UBF Seguros.

A notificação, diz o juiz, é “para que tomem ciência de que, enquanto não for julgado o mérito da presente demanda, poderão responder por crime ambiental”. As empresas também ficam sujeitas à mesma multa arbitrada contra a Aneel e o Ibama em caso de descumprimento da decisão: R$ 1 milhão, a ser revertido para os povos indígenas afetados.

O MPF aguarda ainda julgamento de outro processo, também da semana passada, em que questiona irregularidades ambientais na licença concedida à Belo Monte.